GASTRONOMIA

São Paulo é uma cidade famosa também por sua gastronomia. Por ano, segundo dados oficiais, 12 milhões de turistas se apaixonam pela comida servida na capital paulista. E que comida é esta? Existem algumas tradições, como as feijoadas às quartas e sábados, a massa às quintas, as ervas e especiarias utilizadas em muitos pratos ou o café da manhã geralmente composto por pão francês com frios e uma xícara de café ou suco. Mas o melhor da culinária paulistana é a variedade de opções. A pluralidade de sabores que permite experiências gastronômicas diferentes e incríveis num mesmo dia. Os habitantes de São Paulo vieram de várias partes do mundo. Os efeitos da imigração também são notados na vasta lista de restaurantes da cidade. A cidade paulista possui mais de 15 mil opções de restaurantes e 20 mil bares. Deste total, são quase 60 tipos de cozinhas diferentes, incluindo comidas típicas de outros países.  Há italianos como Fasano e Piselli, franceses como Freddy e La Casserole, espanhóis como Don Curro e Fuentes, portugueses como A Bela Sintra e Antiquarius, japoneses como Kibô Sushi e Kosaka, os suíços como o Florina, alemães como Windhuk e Weinstube e gregos como Acrópoles, entre vários outros. Até a culinária escandinava está presente, como é o caso do restaurante Svanen Scandinavian Food. São Paulo possui ainda cozinha vegetariana, orgânica e uma rede completa de fast-food, sem contar os inúmeros pontos de cafés e padarias com funcionamento 24 horas.  Além dos restaurantes e bares, São Paulo conta com uma infinidade de outras atrações gastronômicas interessantes para quem deseja experimentar sabores variados. É o caso do Mercadão, do Eataly, das inúmeras feiras de comidinhas, de cafés tradicionais, padarias charmosas que nunca fecham, das ótimas frutas, legumes e verduras à venda no Ceagesp,  da inusitada padaria instalada dentro do Mosteiro São Bento e de ruas e bairros onde comer virou uma arte. Aqui, listamos apenas algumas opções interessantes da capital que valem uma visita. Mas há muitas outras! Faça uma consulta com a SAMPA EXPERIENCE para escolher o lugar mais adequado ao seu perfil e à experiência que você deseja vivenciar.

Mercado Municipal
mercado munuicipal.jpg

O Mercado Municipal, carinhosamente chamado de Mercadão pelos paulistanos, foi projetado em estilo neoclássico pelo arquiteto Francisco Ramos de Azevedo em 1926 e inaugurado em 25 de janeiro de 1933. Após a grande reforma realizada em 2004, o Mercadão virou moda e ponto de encontro nos finais de semana. Na restauração, sua fachada original foi recuperada, assim como os vitrais, e foi construído um mezanino, com diversos quiosques de comes e bebes. O local é considerado um dos mais tradicionais pontos gourmets da cidade. O prédio ocupa um espaço de 12.600 m² de área construída, abrigando cerca de 290 boxes com perto de 1.500 funcionários. Delícias servidas ali, como o pastel de bacalhau e o sanduíche de mortadela (foto), viraram referência na cidade.

Feira da Benedito Calixto
consulado.jpg

A Feira da Benedito Calixto, que acontece todos os sábados, das 9h às 19h, é um ponto de referência intelectual, cultural e gastronômico da cidade. O evento conta com a participação de mais de 300 expositores, que oferecem os mais variados produtos de artesanato, obras de antiguidades que são garimpados por muitos artistas, decoradores e antiquários que saem em busca de preciosidades. Os visitantes podem apreciar comidas típicas, pois o local é bem servido de restaurantes, além da praça de alimentação. No entorno da praça também há ótimas indicações para um almoço delicioso. O maior destaque é o famoso Consulado Mineiro (foto), sempre lotado, que vale a longa espera regada a uma deliciosa caipirinha. No meio da praça, uma tradicional roda de choro também anima os frequentadores.

Eataly
eataly.jpg

O Eataly, maior mercado de gastronomia e produtos artesanais italianos do mundo, se tornou um "cartão de visita" da cidade. Nos 4,5 mil m² espalhados pelos três pisos da loja de São Paulo, os visitantes podem provar muitas novidades, saborear vários pratos e comprar muitos produtos, bebidas e vinhos. Em cada país onde chega, o Eataly oferece, além de produtos artesanais italianos, os produtos artesanais locais. A loja de São Paulo traz diversas surpresas brasileiras descobertas em pesquisas realizadas pela equipe por diferentes regiões do Brasil. Ao todo, são sete restaurantes temáticos e um restaurante com bar. Há também duas cafeterias, uma gelateria, uma pasticceria, uma chocolateria, um bar de sucos de frutas feitos na hora e um balcão de Nutella. O mercado é dividido em 22 departamentos, com um total de 7 mil produtos comercializados, que incluem padaria, hortifrúti, açougue, peixaria, rotisseria, pasta fresca, uma fábrica de mozzarella, queijos, carnes curadas, laticínios e todas as categorias essenciais de uma mercearia, como doces, geleias, conservas, azeites, molhos, temperos, condimentos, massas, arroz, bebidas não alcoólicas, vinhos, cervejas, destilados, livraria e bazar.

Vila Madalena
são pedro.jpg

Uma das atrações da Vila Madalena é a sua enorme diversidade de bares e restaurantes para todos os bolsos e estilos. Cada estabelecimento tem seu jeitinho especial. Têm os botecos clássicos, daqueles com azulejos na parede, chope gelado, futebol e caldinho de feijão, como o Filial e o São Cristovão, e os com algo a mais, como a Mercearia São Pedro (foto) e o Salve Jorge - que dá desconto pra qualquer um que se chame Jorge. Não faltam boas opções culinárias em suas ruas. Algumas misturam a comida com loja de decoração, como o Lá da Venda; ou então o Armazém da Cidade, que vende comes, bebes, roupas e muito mais – além de promover encontros musicais pelo bairro, cheio de coisas gostosas e lanches à venda. O Consulado Mineiro, sempre lotado, vale a longa espera regada a uma deliciosa caipirinha. Ou então a charmosa Oficina da Pizza, que com uma extensa carta de vinhos e uma decoração bastante única serve uma das melhores fatias da região. O tradicional Jacaré Grill, inaugurado em 1990, é outra casa que vale a visita. No cardápio, grelhados acompanhados de molhos diferentes, como de manga e maracujá, além de porções de batata assada recheada com requeijão e bacon e a sua tradicional picanha. Aos sábados, a partir das 19h, tem música ao vivo de graça. Isso tudo além de diversos outros restaurantes italianos, vegetarianos, franceses e japoneses, entre outros tipos. Sem contar as sorveterias, as docerias e os foodtrucks que frequentam a região.

Liberdade
japanese-food.jpg

O bairro da Liberdade, no centro, é o mais famoso reduto de imigrantes na cidade, habitado pelos japoneses desde 1912. Entre as atrações do local, estão restaurantes e docerias típicos, além de lojas e livrarias com artigos do Japão. Além do comércio de rua, a Feira da Liberdade acontece todos os finais de semana, desde 1975, oferecendo, além de arte e artesanato, barracas que oferecem guiozas, yakissobas e takoyakis, entre outras comidas típicas da culinária oriental. Andar pelo bairro é uma oportunidade de conhecer um pouco da arquitetura e da língua japonesa, marcada em diversos letreiros pela rua e nas conversas de grande parte dos moradores e comerciantes.

Festas alemãs no Brooklin
Maifest-Festa-Alema-Brooklin-Sao-Paulo-salsicha-de-vitelo-Kalbsbratwurst-Foto-Divulgacao.jpg

No bairro do Brooklin acontecem duas festas de rua, típicas alemãs, que são um sucesso: a MaiFest (geralmente em maio) e a BrooklinFest (normalmente em outubro). Ambas duram um final de semana, têm uma proposta parecida e acontecem nas imediações da Rua Joaquim Nabuco. Nelas, em barracas, em restaurantes montados na rua e também em alguns restaurantes tradicionais já existentes no local, é possível provar uma série de iguarias da gastronomia alemã – como joelhos de porco assados em churrasqueiras giratórias, salsichões Berna, doces típicos, chope e muita música tradicional alemã. Em barracas espalhadas pelas feiras também é possível comprar muitos produtos interessantes, como artesanato, roupas, bijuterias etc.

Feira de Orgânicos no Parque da Água Branca
alimentos-organicos-1200x800.jpg

A feira de produtos orgânicos promovida pela Associação de Agricultura Orgânica, no Parque da Água Branca, ocorre as terças, aos sábados e aos domingos das 7h às 12h. São cerca de 45 produtores com barracas de frutas, verduras, legumes, laticínios, temperos e comida pronta. Para quem quiser fazer um lanche pós-expediente, em frente ao galpão da feira funciona o Raiz Café comandado pela Thaís Raiz. É possível comer quitutes orgânicos, como salgados, bolos, tortas e até pizzas e pastéis integrais.

Festa de Nossa Senhora Achiropita
achiropita2.jpg

O Bixiga é palco de uma das maiores e mais tradicionais festas da capital: a Festa de Nossa Senhora Achiropita, comemorada desde 1926 durante os fins de semana do mês de agosto, em homenagem à padroeira do bairro. Para essa festividade, são espalhadas dezenas de barracas pelas ruas, oferecendo aos visitantes pratos típicos italianos e toda a renda é revertida para obras sociais da Paróquia Nossa Senhora Achiropita.

Festa de São Vito
festa sao vito.jpg

Em maio acontece a Festa de São Vito, tradicional comemoração típica italiana que ocorre no Brás. A festa se caracteriza pela originalidade e manutenção das tradições, transmitidas há décadas às gerações de filhos e seus descendentes. São 96 anos seguidos com um cardápio inalterado feito pelas famosas “Mamas de São Vito”, responsáveis pelo sucesso gastronômico.

Ceagesp
ceagesp1.jpg

Terceiro maior mercado atacadista do mundo e primeiro da América Latina, a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) é visitada por turistas de todo o mundo em busca de produtos de qualidade - e abastece grande parte do país no que diz respeito a flores, frutas, plantas, peixes, verduras e legumes, movimentando 250 mil toneladas destes produtos por mês. No comércio varejista o local também se destaca, principalmente por causa do “Varejão”, espécie de feira livre realizada três vezes por semana (aos sábados, domingos e quartas) que disponibiliza ao público produtos a preços baixos e alimentos prontos típicos das feiras paulistanas, como pastel, caldo de cana, espetinho, milho, bolo, entre muitos outros. Além do Varejão, outra grande atração turística do local é a Feira de Flores, maior evento do tipo no país, que reúne mais de mil produtores que trazem aos clientes os mais diversos tipos de plantas. Há, no mesmo local, um espaço para acessórios e artesanato. Durante o inverno, outra atração é o Festival de Sopas, que traz ao público várias opções de caldos quentes toda semana.

Mosteiro de São Bento
mosteiro são bento.jpeg

O Mosteiro de São Bento é um símbolo importante para a cidade de São Paulo. Com mais de 400 anos de história, o local sempre teve grande influência na cidade. A fundação do Mosteiro de São Bento data do fim do século XVI - 14 de julho de 1598. Em 1910 teve início a construção atual. Quatro anos mais tarde, em 1914, estava completo o conjunto beneditino que conhecemos hoje: a Basílica de Nossa Senhora da Assunção, o Mosteiro e o Colégio de São Bento, marco histórico, cultural e turístico. Entre as atrações, destaque para o seu famoso brunch. O “Domingo no Mosteiro” é bem movimentado por conta da Tradicional Missa dos Monges, às 10h00, todos os domingos. Sempre lotada, a Santa Missa comemora a sagrada refeição Eucarística, ao som do Canto Gregoriano, acompanhado pelo órgão de tubos. Depois da refeição espiritual, no último domingo de cada mês, o Mosteiro abre as portas de seu refeitório, com as iguarias de sua padaria e a gastronomia de grandes chefs de São Paulo. O evento é acompanhado de boa música, exposições de arte e uma visita guiada pelo Mosteiro. Outra atração é a sua concorrida padaria, que comercializa delícias como bolos, pães, geleias e biscoitos - cujas receitas seculares secretas, diz a tradição, são transmitidas de monge para monge.

Rua Avanhandava
Rua-AvanhandavaA.jpg

Localizada em uma travessa da Rua Augusta, a Rua Avanhandava é o lugar ideal para os amantes da culinária italiana e, sobretudo, um espaço romântico e acolhedor dentro do agitado centro de São Paulo. Revitalizada no ano de 2007, inspirada nas cidades europeias, passou por transformações radicais. O projeto de reforma utilizou piso ecológico nas calçadas e rolamento da via, facilitando a absorção da água da chuva, e criou um novo paisagismo: canteiros e vasos de plantas pela rua, além de duas fontes nos moldes italianos. Além de todo este visual agradável e seguro, a rua oferece ótimos restaurantes. O restaurante Madreperola foi concebido com o intuito de oferecer uma experiência única aos amantes dos pescados. O cardápio traz em primeiro plano um prato feito, o famoso “PF”, servido todos os dias. Antes de ir ao principal, dá para abrandar o apetite fazendo um passeio pelo balcão de antepastos ou pedindo o camarão empanado. A super tradicional Cantina Famiglia Mancini é imperdível. Suas entradas são uma atração à parte. O cardápio inclui grande variedade de queijos, azeitonas, sardela napolitana, aspargos, aliche, carpaccios diversos, entre vários outros. Podem ser apreciadas massas como o ravióli de ricota, espinafre e nozes ao molho de tomate, azeitona preta e ervas. Das carnes, o campeão de pedidos continua sendo o filé à parmegiana. Além disso, você pode se servir somente dos antepastos com uma cerveja ou seu vinho preferido. Com um salão amplo e agradável, a Pizzaria Famiglia Mancini é especialista na arte de servir pizzas. O cardápio conta com as clássicas mozzarella, napolitana e calabresa, além das inusitadas criações da casa que levam queijo de cabra, mostarda em folhas ou abobrinhas. O ambiente é aconchegante e próprio para reunir os amigos, saborear pizzas e ouvir uma boa música. Para completar, dois pianos de cauda dão o toque especial ao som das apresentações ao vivo todas as noites. Já o Walter Mancini Ristorante, conhecido pela alta gastronomia e boa música, possui um cardápio variado e conta com massas como o espaguete à carbonara e o tagliatelle ao molho de tomate com camarão. Todos os sábados, a casa oferece uma feijoada, com caldinho de feijão, batidinha, bistecas, farofa, pimentas variadas, laranja, couve e variedades de carnes. No interior do amplo salão, um piano de cauda e colunas de mármore dão charme ao bar em madeira torneada, com a mesma sofisticação dos restaurantes italianos de alta gastronomia. 

Cantinas do Bixiga
cantina q q sabe.jpg

Fundado em 1878, o bairro do Bixiga – um dos mais tradicionais de São Paulo – tem uma importância histórica e cultural muito ampla para a capital paulista. Localizado no centro, o distrito foi formado por imigrantes italianos recém-chegados ao Brasil e seus moradores cultivam até hoje suas origens, principal motivo pelo qual ganhou fama. Apresenta uma diversidade inacreditável e isso se deve ao fato de ser um dos bairros mais boêmios e, ao mesmo tempo, mais religiosos da capital. Suas cantinas, feiras e tudo o que envolve seu lado mais tradicional, fazem deste um dos bairros mais icônicos da cidade. O lado boêmio e gastronômico do bairro também está por toda a parte. Algumas das cantinas mais clássicas da cidade encontram-se em suas ruas estreitas, cada uma com suas particularidades. A Cantina Speranza, desde 1958 no bairro, é famosa por trazer a São Paulo as melhores pizzas italianas; a Cantina Capuano é considerada o mais antigo restaurante da capital em atividade (desde 1907); a Cantina C... Que Sabe! (foto), com mais de 70 anos de existência, mistura a modernidade de sua fachada com uma decoração típica do sul da Itália; o Villa Távola funciona 24h e possui dez ambientes principais, incluindo playground. No circuito dos bares, também muita tradição, incluindo a Ludus, primeira luderia do Brasil, com drinks, comidas e mais de 700 jogos nacionais e importados à disposição do cliente; o The Wall Café, especialista em Rock 'N Roll desde 1998, e o Café Piu Piu, há mais de 30 anos no bairro, apresentando uma incrível diversidade musical.

Restaurante Pobre Juan
juan34.jpg

Especializado na gastronomia argentina, o restaurante Pobre Juan, localizado no Shopping Cidade Jardim, tem um jardim externo que proporciona vista incrível para a Ponte Estaiada, cartão-postal da cidade. Seu sofisticado cardápio inclui delícias como o Corazón de Cuadril (miolo de alcatra), o Bife de Chorizo (contra filé com leve gordura) e o Pollo Bebe (galeto desossado).

Restaurante Terraço Itália
terraço.jpg

O Edifício Itália é o segundo maior prédio da cidade e um dos maiores do Brasil, com 165 metros de altura, distribuídos em 46 andares. Inaugurado em 1965, é atualmente um dos marcos da capital, protegido pelo Patrimônio Histórico por ser um dos maiores exemplos da arquitetura verticalizada brasileira. Sua construção foi permitida pelas autoridades municipais apenas por se localizar em um dos pontos focais de São Paulo (na esquina das avenidas Ipiranga e São Luís, no centro). Um dos maiores destaques do Edifício Itália é o restaurante localizado no seu topo, o Terraço Itália, que permite uma vista em 360 graus da cidade, sendo um dos maiores pontos turísticos de São Paulo. Para apreciar a belíssima vista, é preciso fazer uma reserva no restaurante (aberto para almoços e jantares). Especializado na culinária italiana, o restaurante é elegante e muito acolhedor, com um clima bem romântico.

The View Bar
the-view.jpg

Localizado numa região privilegiada, no 30º andar de um prédio da Alameda Santos, no bairro dos Jardins, o The View Bar oferece uma vista panorâmica de uma das regiões mais nobres de São Paulo. Seu espaço é romântico e decorado com poltronas amplas e confortáveis. Nas janelas, figuras de arranha-céus emolduram as paredes e transmitem um toque de requinte ao ambiente.

Bar e Restaurante Skye
skye.jpeg

O Skye Bar e Restaurante, na cobertura do Hotel Unique, possui uma piscina avermelhada e um fabuloso lounge com vista panorâmica para o Parque Ibirapuera e todo o horizonte de São Paulo, incluindo o skyline da Avenida Paulista. No Skye, os maravilhosos sabores apresentados na gastronomia contemporânea do Chef Emmanuel Bassoleil, a exuberância visual e o serviço único despertam os sentidos dos visitantes em todas as ocasiões, seja num café da manhã em família, um almoço de negócios, happy hour entre amigos ou em um jantar romântico a dois.

Restaurante D.O.M.
dom.jpg

Atualmente considerado o nono melhor restaurante do mundo pelo S. Pellegrino World´s 50 Best Restaurants e detentor de duas estrelas no prestigiado Guia Michelin, o D.O.M. é um restaurante único. Sua proposta é sair da zona de conforto e propor uma nova experiência gastronômica, resgatando os sabores mais autênticos da cozinha brasileira sob um olhar contemporâneo. Em um endereço discreto, nos Jardins, o D.O.M. tem uma ambientação que se destaca pelo equilíbrio harmonioso entre o clássico e o moderno, o conhecido e o selvagem. O número restrito de clientes atendidos diariamente e sua área reservada para eventos atestam o compromisso de oferecer o máximo em conforto e exclusividade.

Galeria dos Pães
galeria.jpg

Instalada no bairro dos Jardins, é uma das mais famosas padarias da capital e funciona 24 horas, atraindo de madrugada um público jovem saindo das baladas. Serve diariamente um café matinal com bufê completo. São diversos tipos de pães, iogurtes, frutas, cereais e croissants. Entre os atrativos da padaria está o sanduíche de metro, além de lanches inusitados com pães de cenoura e de abacate. O cardápio da casa é guarnecido também de doces diversos, salgados, bolos, tortas, pizzas, queijos e frios. Destaque para o bolo de caipirinha, receita de pão-de-ló recheado com creme de limão e cachaça, cobertura de ganache branco e biscoito de chocolate. O cliente pode conferir também uma adega com aproximadamente 1.500 rótulos.

Restaurante Spot
spot.jpg

Desde 1994, o Spot apresenta delícias da cozinha contemporânea em um ambiente descontraído, a menos de um quarteirão da Avenida Paulista. Com fachada toda em vidro, está instalado em meio a uma grande praça com fonte iluminada e tem seu projeto arquitetônico assinado por André Vainer. Frequentado por um público moderno e variado, o Spot reflete a agitação cultural e fashion da cidade. No horário do almoço, executivos e empresários da região tomam conta de seu salão. Em suas animadas noites, artistas, atores e jornalistas apreciam os drinks, as entradinhas, e batem papo na área externa enquanto aguardam por suas mesas.Leve e criativo, o cardápio traz influências que vão desde lembranças de infância, até experiências de inúmeras viagens de seus sócios ao redor do mundo. Alguns de seus pratos são sucessos desde a inauguração, com destaque para o Penne com melão e presunto cru, a Terrine de queijo de cabra com legumes e a Salada Spot.

Viela Bar
viela.jpg

O Viela bar surge com um conceito único: um espaço super descolado, com cultura, design, unindo elementos vintage e fabric. Despojado e moderno, mas sem perder a essência de um bom boteco brasileiro. Ótimos drinks e cardápio desenvolvido com altas técnicas gastronômicas fazem do Viela o point perfeito para um encontro entre amigos. Fica no Itaim.

Restaurante Ruella
Ruella-Vila-Olímpia-31.jpg

Com três endereços na capital (Pinheiros, Vila Olímpia e Rua Mário Ferraz), o restaurante Ruella é um francês de altíssima qualidade, atmosfera romântica, decoração impecável repleta de detalhes bem planejados e muito charme. A chef e proprietária Danielle Dahoui comanda uma cozinha que faz uma releitura dos clássicos franceses. O Confit de Pato, por exemplo, ganha a companhia de um Molho de Mel com Gergelim, enquanto o Medalhão de Filé com Foie Gras leva Caramelo de Vinagre de Jerez e Batata.

Bar O Templo
templobardefe_20082014142049.jpg

Instalado em um charmoso e antigo galpão do século passado, no bairro da Mooca, na Zona Leste, o bar O Templo é um espaço muito inusitado e curioso que leva o tema religião muito a sério. No local existem mais de 800 imagens de santos cristãos, umbandistas, hinduístas e budistas. Há imagens com mais de 2 metros de altura! Entre os enfeites, destaque também para os anjos barrocos. A programação musical é bem eclética e inclui samba (aos sábados à tarde), sertanejo e eletrônico, entre outros gêneros. Para descansar entre uma música e outra, outro toque religioso simpático: há bancos típicos de igrejas à disposição. O cardápio também remete ao tema “religião”, com pratos como “Despacho” (frango assado com farofa e ervas) e “Iemanjá” (espeto de camarões grandes assados).

CTN
ctn3.jpg

O Centro de Tradições Nordestinas (CTN) é a principal referência em centro de cultura, entretenimento e gastronomia nordestina na cidade de São Paulo. Fundado em 1991,o local conta com área de 27 mil m², 10 restaurantes e nove quiosques que servem comida típica nordestina, o espaço cenográfico Vila do forró, a feira de artesanato, a Igreja Imaculada Conceição, um parque de diversões e uma arena multieventos. Pelo palco do Centro de Tradições Nordestinas já passaram grandes nomes da música brasileira, como Elba Ramalho, Leonardo, Zezé di Camargo e Luciano, Aviões do Forró, Calypso, Jorge e Mateus e Wesley Safadão, entre outros.

Bar Brahma
BAR-BRAHMA1.jpg

O endereço não poderia ser mais poético: como já dizia a música de Caetano, "alguma coisa acontece no meu coração, que só quando cruzo a Ipiranga e a Avenida São João". E é nesta esquina, bem no coração da cidade, que São Paulo acolhe o Bar Brahma. Desde a fundação, em 1948, o Bar Brahma foi testemunha de fatos importantes da nossa história. Desde as acaloradas discussões sobre a repressão política da década de 60 até as comemorações dos 450 anos da metrópole, em 2004. O Bar Brahma já é parte indissociável da trajetória de São Paulo. ​Engana-se, entretanto, quem acha que o Bar Brahma vive de história. A tradição de trazer sempre o melhor da música e da gastronomia paulistana à esquina mais famosa da cidade faz a imagem do Brahma se reinventar a cada temporada. Nos shows, Elymar Santos, Demonios da Garoa e Kiko Zambianchi se misturam aos artistas contemporâneos e de repertório variado, como Vanessa Jackson, Sall e Carolina Soares, entre tantos outros. No cardápio, os “petiscos de bar” contam com um preparo mais do que especial.

Inominato Osteria
osteria.jpg

Instalado no bairro da Vila Mariana, pertinho da Avenida Paulista, desde 1992, o Innominato é um dos restaurantes mais tradicionais da capital. Oferece um cardápio diversificado, com cerca de 150 opções diferentes, baseado sempre na gastronomia italiana clássica, num ambiente bastante acolhedor. A casa também conta com uma carta diversificada de vinhos, com mais de 60 rótulos.

Café Girondino
girondino.jpg

Embora não tenha nenhuma semelhança com o original, o nome é inspirado em um famoso bar homônimo que existiu na Praça da Sé no século XIX. Por isso, faz o gênero vintage muito charmoso para atrair os turistas que circulam pelo centro. De algumas de suas janelas, é possível avistar o belíssimo Mosteiro São Bento, enquanto vão chegando à mesa delícias como o seu famoso arroz doce com raspas de limão. A casa fica pertinho da Ladeira Porto Geral, que dá acesso à famosa Rua 25 de Março.